Nordestina, 19. "Não queira ter mais. Queira ser mais."
Outra noite que se vai.
Bem ou mal, ela sente sua ausência. Toda noite, evita estar em casa lembrando que o espaço do apartamento triplicou por um milhão. Sente falta de camisetas espalhadas aleatoriamente. Fica lembrando ele cozinhando espaguete al pesto, ou quando ele sentava na janela dedilhando “Tears In Heaven”, ou assistia o colorado comportadinho, roendo as unhas sem parar, os pés no sofá. Hoje, coleciona casos com cafajestes fajutos. Sente falta dos sermões que levava por andar descalça no chão frio. Verifica o funcionamento do telefone: tu-tu-tu. Presos pela liberdade, prosseguem cada um na sua, conectados por um fio invisível que não conduz mais eletricidade. Um fio de saudade dissonante e a certeza de que, amor como aquele deles, não acontece no tocar de uma varinha de condão.
Gabito Nunes.  (via 19-5)
Mas, dá pra ver, nós seríamos um grande casal, você sabe, se houvesse alguma possibilidade.
Gabito Nunes.
A gente tem mania de se iludir por qualquer coisa. Acho que é uma coisa do nosso subconsciente. A gente sempre sabe que não vai acontecer, e mesmo assim continua tendo esperança… A verdade é que, no fundo, nós sempre acreditamos que pode dá certo.
— Mércia Cardoso.
Cacá|resquicio